Os problemas do melasma!

15 de julho de 2021

Você também sofre com essa condição tão comum?

Saiba que não é apenas você, eu mesma sofro com o meu melasma há alguns anos. Porém, apesar de ser uma doença crônica e sem cura, há muitos tratamentos possíveis na atualidade e com muito bons resultados.

O melasma é uma hipermelanose adquirida que causa a manchas acastanhadas principalmente na face das mulheres, mas cerca 10% dos acometidos são homens também. É uma doença que tem preferência pelas peles de pessoas mais pigmentadas, com fototipo mais alto, e hoje sabemos que a causa é multifatorial. Está relacionado a questões genéticas, hormonais, exposição solar e outros. Muito comum aparecer em mulheres grávidas também, pelas questões hormonais desse período.

É importante lembrar que os cuidados precisam ser diários com muita proteção a radiação solar e a luz visível. Para isso é necessário a aplicação de filtro solar com cor (base) que tenha em sua formulação óxido de ferro. A mancha deve estar bem camuflada com o filtro solar para que ela esteja bem protegida.

Além da fotoproteção precisamos investir em tratamentos domiciliares com clareadores. Temos no mercado inúmeras opções. Dou destaque a hidroquinona, que ainda se mantem como o melhor clareador, porém com um potencial irritativo grande e se usada sem orientação médica poderá ter efeitos adversos importantes como ocronose exógena e leucodermia em confete. Essas duas condições são irreversíveis e merecem a nossa parcimônia ao prescrever essa medicação. Devemos utiliza-la por períodos curtos e retira-la com cuidado para não haver rebote da mancha. Ainda dispomos de outros bons clareadores para utilizar em peles mais sensíveis, em gestantes, em pacientes que tem acne associado, etc.

Para manchas mais resistentes ao tratamento temos disponível o uso de ácido tranexâmico por via oral. Os resultados têm se mostrado realmente muito promissores, porém pelo o seu risco trombogênico o paciente precisa ser bem avaliado antes pelo seu médico.

Além dos tratamentos e cuidados descritos acima, temos ainda os tratamentos em consultório como microagulhamento, laser Q-switched, MMP. Para um melhor resultado devemos associar os tratamentos orais, tópicos e muitas vezes os procedimentos ambulatoriais.

Cadastre-se e acompanhe as novidades.

Confira as notícias
mais recentes

Nosso material tem caráter meramente informativo e não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação. Em caso de dúvidas, agenda sua consulta.
19 de julho de 2021
Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, desempenho, analisar sua interação e personalizar conteúdo. Política de Privacidade.